Hilda Hilst 90

27 a 29 de outubro de 2020

Evento virtual e gratuito, com certificado



Em 2020, comemoram-se os 90 anos de Hilda Hilst (1930-2004), uma das mais importantes escritoras brasileiras do século XX. Aproveita-se a efeméride para refletir sobre o seu legado na poesia, na prosa, no teatro, na crônica e no cinema. Escritora considerada hermética durante sua vida, de poucos leitores e exígua crítica, ressurge contemporaneamente a partir de novas pesquisas e enfoques, ganhando destaque nos meios acadêmico, editorial e artístico, com homenagens em eventos e publicações. O seminário "Hilda Hilst 90" pretende atravessar as diferentes vertentes de sua produção literária, reunindo os pesquisadores da obra, em diversos estágios e em diferentes formatos, de instituições do Brasil e do exterior. Totalmente virtual e gratuito, de 27 a 29 de outubro de 2020, serão apresentadas palestras com estudiosos, docentes e pós-graduandos, escritores, tradutores, profissionais de cinema e teatro a fim de fomentar reflexões sobre a autora, oferecendo novas perspectivas de estudo. Pretende-se, com esta iniciativa, realizar um balanço da fortuna crítica da escritora e propor um prolífico intercâmbio entre os pesquisadores e os temas que orbitam em torno dela. Será a ocasião de abrir frentes para novas pesquisas e produção de artigos, dissertações, teses, além de expressões artísticas variadas, contribuindo para a atualização do legado, do conhecimento e da consolidação deste importante nome da literatura nacional.



Presenças confirmadas:

Alexandra Joy Forman

CV Lattes

Formada em Literatura pela Brown University e tem Mestrado em Fotografia pela Yale School of Art (EUA). Ela é autora, em língua inglesa, de "Tall, Slim & Erect: Portraits of the Presidents” (Les Figues Press, 2012). Também é tradutora de ficção e poesia brasileira. Para entender melhor os espaços entre e em torno das letras, verteu o livro "Fluxo Floema" de Hilda Hilst para Editora A bolha / Nightboat Books (2018) e "Saga of Brutes" de Ana Paula Maia para Dalkey Archive Press (2017). Lecionou na Universidade de Yale, no Massachusetts College of Art, no College of the Holy Cross e também no Rhode Island College, onde começou a desenvolver uma metodologia que hoje aplica nos projetos do Instituto Urca. Trata-se de organização de sociedade civil de interesse público, que fundou em 2017 com o objetivo de estimular a mobilização social a partir das histórias de vida, acervos pessoais e memórias ativas locais. Com esse intuito, promove ações que visam a garantia de direitos, a sustentabilidade local e a conservação ambiental. É mãe da Lara. Mora e atua como ativista socioambiental na Urca, Rio de Janeiro.

Aline Leal

CV Lattes

Bolsista PNPD/CAPES com o projeto "Dez Mil Sóis - Um estudo da marginália da biblioteca da Casa do Sol", sob supervisão da Profa. Rosana Kohl Bines, no departamento de Letras da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Doutora em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio, com a tese "Sob o sol de Hilda Hilst e Georges Bataille", sob orientação da Profa. Rosana Kohl Bines e co-orientação do Prof. José Thomaz Brum. A tese foi indicada para o prêmio Capes de Tese pelo departamento de Letras da PUC-Rio em 2018 e publicada em livro pela editora PUC-Rio em co-edição com a editora Azougue (2018).

Aline Novais de Almeida

CV Lattes

Bacharel em Letras (2008) e Licenciada (2009) em Português e Italiano pela FFLCH-USP. Mestra em Letras pela mesma instituição (2013), com a dissertação "Edição genética d'A gramatiquinha da fala brasileira de Mário de Andrade". Especialista em Tecnologias, Comunicação e Técnicas de Ensino (2018) pela UTFPR, com a monografia "Literatura Fundamental: transposição da mídia audiovisual para o contexto escolar". Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Literatura Brasileira da FFLCH-USP (2019), com a tese "Manequim de pássaros: ritmo, corpo e metamorfose em Murilo Mendes". Membro da equipe editorial da "Manuscrítica. Revista de Crítica Genética". Atua como professora e pesquisadora independente, seus principais temas de interesse são: literatura brasileira, modernismo, crítica genética e erotismo.

Andrea Leitão

CV Lattes

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Literatura Brasileira da Universidade de São Paulo (USP). Mestre em Estudos Literários pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Pará (2014). Licenciada plena em Letras - Habilitação em Língua Portuguesa, pela mesma Universidade (2012). Atualmente, é professora de Língua Portuguesa da Secretaria Municipal de Educação de Belém (SEMEC).

Ana Kfouri

CV Lattes

Ana Kfouri é diretora teatral, atriz, pesquisadora, graduada em Letras pela Universidade Veiga de Almeida (2002), especialista em Arte e Filosofia pela PUC-Rio (2007), mestre em Teatro pela Unirio (2006) e doutora em Artes Visuais pela UFRJ (2015), com experiência na área de Artes.

Beatriz Azevedo

https://www.beatrizazevedo.com

Poeta e compositora, multiartista brasileira. Doutora em Artes da Cena UNICAMP e Mestre em Literatura Comparada USP. Pesquisadora de Pós-Doutorado UNICAMP / FAPESP. Estudou música no Mannes College of Music em Nova York e dramaturgia na Sala Beckett em Barcelona. Recebeu a Bolsa Virtuose para Artistas. Suas composições foram gravadas por Adriana Calcanhotto, Matheus Nachtergaele, Moreno Veloso, Tom Zé, Zelia Duncan e Zé Celso Martinez Correa. Criou parcerias com Augusto de Campos, Hilda Hilst, Moreno Veloso, Oswald de Andrade, Raul Bopp, etc.

A Biscoito Fino lançou seus álbuns A.G.O.R.A., AntroPOPhagia ao vivo em Nova York gravado no Lincoln Center e Alegria, também na Europa e Japão.

Autora de Abracadabra (Demônio Negro), Antropofagia Palimpsesto Selvagem (Cosac Naify), Idade da Pedra e Peripatético (Iluminuras), Acabou Chorare com Arnaldo Antunes e Caetano Veloso. Traduziu Jean Genet e Bernard-Marie Koltés, publicado pela primeira vez no Brasil em Teatro de Bernard-Marie Koltes (Hucitec).



Cristiano Diniz

CV Lattes

Mestre em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas. Possui graduação em Ciências Sociais pela mesma instituição. Atualmente é profissional em organização de arquivos no Cedae - Centro de Documentação Cultural Alexandre Eulalio do Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, local onde organizou, até o momento, os acervos pessoais de Monteiro Lobato, Ronald de Carvalho, Hilda Hilst e Flávio de Carvalho. Paralelamente, tem desenvolvido um trabalho artístico nos últimos anos, tendo ilustrado algumas capas de livros sob o pseudônimo de Tano.

Eduardo Nunes

Unicórnio (2017)

Eduardo Nunes é diretor e roteirista formado em cinema pela Universidade Federal Fluminense. Atua em diversas funções, como editor de som, diretor de produção, montador, roteirista e diretor de curtas, médias e longas-metragens. Seu primeiro filme, o curta-metragem Sopro (1994), codirigido com Flávio Zettel, foi exibido em festivais brasileiros e internacionais, tais como Berlim, Havana, Nova Iorque e Cidade do México. Terral (1995), seu segundo curta, recebeu 18 prêmios em festivais nacionais e internacionais. Também dirigiu diversos programas educativos para TV Bandeirantes, TV Cultura, TV Escola e TVE. Escreveu, em parceria com Lírio Ferreira, Hilton Lacerda e Sérgio Oliveira, o roteiro de Árido movie (2005), de Lírio Ferreira. Estreou em longa-metragem com Sudoeste (2011), filme de encerramento do Festival de Gramado de 2011 e selecionado para a Première Brasil do Festival do Rio 2011. O seu segundo longa, Unicórnio (2017), foi selecionado para a competição do Festival do Rio.

Eliane Robert Moraes

CV Lattes

É professora de Literatura Brasileira na USP e bolsista Produtividade do CNPq. Doutora em filosofia pela USP, foi docente da PUC – SP e professora visitante nas universidades da Califórnia em Los Angeles (UCLA), de Paris Nanterre (PARIS 10), de Perpignan (UPVD) e Nova de Lisboa (UNL). Publicou trabalhos sobre as relações entre estética e erótica; sobre o Marquês de Sade e a literatura libertina do século XVIII europeu; sobre Georges Bataille e o surrealismo francês; sobre o erotismo modernista na França e no Brasil; sobre Mário de Andrade, Dalton Trevisan, Roberto Piva, Hilda Hilst e Reinaldo Moraes, e outros. Organizou a Antologia da poesia erótica brasileira, editada no Brasil (2015) e em Portugal (2017), além de uma seleção de contos eróticos brasileiros, publicada em 2018 sob o título O corpo descoberto. Atualmente investiga figuras do excesso na prosa de ficção brasileira dos séculos XX e XXI.

Gabriela Greeb

www.homemadefilms.com.br

Gabriela Greeb é autora de trabalhos audiovisuais em diversos formatos. Nasceu em São Paulo, em 1966, estudou Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Durante doze anos viveu em Barcelona, Londres e Paris, onde entrou em contato com o universo cinematográfico. De volta ao Brasil em 2000, criou a HOMEMADEFILMS, uma produtora independente com base nas Perdizes, em São Paulo.

Iara Jamra


Iara Jamra (São Paulo, 1955) é uma atriz que iniciou sua trajetória na adolescência, como aluna de cursos livres de Naum Alves de Souza na FAAP. Passou a integrar o grupo de teatro PodMinoga em 1978, quando aprendeu também cenografia e figurinos, participando da montagem de pequenas peças. Como atriz profissional, estreou a convite de Flavio de Souza, em 1982. Atuou em filmes, bem como em telenovelas, em produções da Record TV e Globo, com destaque para O Rei do Gado. Trabalhou em programas infantis e humorísticos, como o Programa Rá-Tim-Bum, no quadro "Nina e Boneca Careca", da TV Cultura, além do Zorra Total, da Globo. Estrelou em 1999, na cidade de São Paulo, no Teatro Next, o monólogo O Caderno Rosa de Lori Lamby, adaptação da obra homônima de Hilda Hilst, com direção de Beth Coelho. Em 2018, o monólogo foi remontado, também com a direção de Beth Coelho, e encenado na Oficina Cultural Oswald de Andrade e na Biblioteca Municipal Mário de Andrade, ambos espaços públicos paulistanos. Atualmente, compõe o elenco da peça Feliz dias das mães, texto e direção de Dan Rosseto.

Italo Moriconi

CV Lattes

É poeta, crítico, antologista, editor. professor aposentado da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), atualmente atuando como Visitante na Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Organizou antologias de contos e de poesia e no ano passado foi o responsável pela seleção dos 35 Ensaios de Silviano Santiago (Cia das Letras). Escreveu um perfil biográfico de Ana Cristina Cesar e editou uma ampla seleção de cartas de Caio Fernando Abreu. Acaba de lançar Literatura, meu fetiche, coletânea de seus próprios ensaios, pela editora Cepe, Selo Pernambuco.

Juliana Caldas

CV Lattes

Doutoranda (2019) e mestra em Letras pela Universidade de São Paulo (2018). Atua como editora, professora e artista-pesquisadora. No mestrado, desenvolveu projeto de pesquisa em torno da comparação do livro "Fluxo-floema" de Hilda Hilst e das obras relacionais de Lygia Clark. Atualmente, desenvolve pesquisa em torno do estudo da performatividade como procedimento antropofágico na poesia brasileira contemporânea. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Artes e Letras atuando principalmente nos seguintes temas: literatura comparada, literatura brasileira, artes visuais, performance, antropologia, transdisciplinaridade, literatura e arte contemporâneas.

Luisa Destri

CV Lattes

Doutora em Literatura Brasileira pela USP, é coautora de Eu e não outra - a vida intensa de Hilda Hilst (Tordesilhas, 2018) e Por que ler Hilda Hilst (org. Alcir Pécora, Globo, 2010). Foi consultora da Ocupação Hilda Hilst, realizada pelo Instituto Itaú Cultural em 2015, e organizou a antologia Uma superfície de gelo ancorada no riso (Globo, 2011).

Marcos Visnadi

CV Lattes

Doutorando em Letras na Universidade de São Paulo, na área de Literatura Brasileira. Possui graduação em Letras e mestrado em Literatura Brasileira pela mesma instituição. Pesquisa a obra de Hilda Hilst e suas relações com o mercado editorial e com os cenários político e cultural brasileiros da segunda metade do século XX. Desde a graduação, pesquisa também a dimensão estética da velhice e suas representações na literatura, no cinema e nas artes visuais.

Marina Costin Fuser

CV Lattes

Marina Costin Fuser é doutora em Estudos de Gênero pela University of Sussex. Passou um ano pesquisando sob a supervisão de Trinh T. Minh-ha em Berkeley, onde cursou seu doutorado-sanduíche no Department of Gender and Women's Studies. Recentemente fez um curso executivo de Women's Leadership no Barnard College, Columbia University em Nova York. Trabalhou como assistente de pesquisa no programa Diálogos do Institute of Development Studies com análise, transcrições e traduções do material audiovisual coletado em plataforma de jovens cidadãos em Mozambique. Pesquisa e atua em questões de gênero e mulheres desde 2006, contribuindo com artigos, pesquisas, iniciativas e palestras sobre o tema. Publicou sua dissertação de mestrado, Mulheres que dançam à beira de um abismo: mulheres na dramaturgia de Hilda Hilst, pela EDUC em 2018, pesquisou o conceito de emancipação da mulher em O Segundo Sexo de Simone de Beauvoir. Sua tese de doutorado é sobre nomadismo no cinema e na etnografia pós-colonial de Trinh T. Minh-ha. Integrou o GenEq - Gender Equity Resource Center (Centro de Recursos sobre Equidades) em Berkeley e o NGender - núcleo de estudos de gênero de Sussex. Foi colaboradora do Reframe - coletivo de doutorandos e acadêmicos engajados de Sussex, e estagiou em curadoria de cinema no Pacific Film Archive, em Berkeley. Bacharel e mestre em ciências sociais pela PUC-SP, e lecionou em Sussex no campo de estudos culturais.

Michel Riaudel

CV Lattes

Nota biográfica: Titular da “agrégation” de Letras, fez doutorado em literatura comparada (Paris X) e é hoje professor responsável do departamento de estudos lusófonos, diretor da UFR de Estudos ibéricos e latino-americanos de Sorbonne Université, e membro do CRIMIC. Sua pesquisa volta-se para a literatura brasileira, as circulações literárias, questões de intertextualidade, recepção, transferência, tradução e regimes de conhecimento.

Seleção bibliográfica: dossiê sobre a Literatura brasileira contemporânea, organizado com P. Rivas, Europe, 2005; catálogo bibliográfico France-Brésil, Paris, 2005; Le corps et ses traductions, organizado com C. Dumoulié, Paris, Desjonquères, 2008; Caramuru, un héros brésilien entre mythe et histoire, Paris, Petra, 2017 (2ª ed. revista). É também tradutor de Ana Cristina Cesar, Modesto Carone, José Almino, Milton Hatoum, João Guimarães Rosa, entre outros autores.

Rosana Kohl Bines

CV Lattes

É Professora Adjunta do Departamento de Letras da PUC-Rio e do Programa de Pós-Graduação em Literatura, Cultura e Contemporaneidade da mesma universidade. Possui graduação em Licenciatura Português/Inglês e Literaturas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1988), Mestrado em Letras (Ciência da Literatura) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992), Doutorado em Literatura Comparada pela Universidade de Chicago (2001) e Pós-Doutorado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2005). Curadora literária do acervo do escritor Samuel Rawet, abrigado no Arquivo Museu de Literatura Brasileira da Fundação Casa de Rui Barbosa (AMLB/FCRB) e responsável pela co-organização de sua obra ensaística. Integra a Cátedra Sérgio Vieira de Melo (ACNUR/PUC-Rio), voltada aos estudos do refúgio. Seus interesses de pesquisa incluem: figurações da infância em teorias e práticas artísticas contemporâneas; o livro infantil e juvenil no campo expandido da literatura e das artes; dimensões estéticas e políticas em escritas de experiências-limite; narrativas do refúgio e do deslocamento; catástrofe, memória e escrita. É pesquisadora do CNPq (PQ-1D) e seu projeto atual intitula-se "Narrativas de deslocamento e refúgio. Que histórias contam às/as crianças".

Vania Gumiero

CV Lattes

Mestre em Literatura Brasileira pela FFLCH-USP, sob a orientação de Eliane Robert Moraes, com a dissertação: “Todos se engolem: uma leitura antropofágica de Cartas de um sedutor, de Hilda Hilst”. Bacharel e Licenciada em Letras pela mesma instituição. Atualmente, trabalha como professora de Língua Portuguesa na rede pública, e de Língua Inglesa na rede particular.